Sunday, June 11, 2006

Brito - Um Homem Só

Era um homem muito só.

Vivia no centro de uma cidade muito povoada... uma cidade moderna.

Absorvido pelo todo, pela sociedade, Brito nada mais fazia senão trabalhar, CONSUMIR e dormir... tinha pouco tempo, demasiado pouco tempo para fazer outras coisas...


Brito era em função do todo, da máquina... não pensava nem sentia nada,

não vivia... era um cidadão exemplar!

Aquando do cumprimento de umas férias, Brito reflectiu... pensou em si... sobre quem era... recordou-se da sua meninice, dos seus pais, de uma ou outra namorada que tivera... lembrou-se dos seus sonhos, daquelas possibilidades belíssimas que tivera para si...


Foi então que começou a perceber que não mais tinha sido ele mesmo... só o era quando dormia e tinha pesadelos pesados, que precisamente o recordavam do que já não era... quando estava acordado a sociedade tratava-o "tão bem" que não lhe deixava espaço para sonhar, ou melhor, o todo em que estava diluído alimentava-o com sonhos que não eram os seus...


Murmurou de si para si:

Sou realmente o que sou quando durmo e sonho, sonhando os meus próprios sonhos, aqueles a que a hierarquia me ensinou a apelidar de pesadelos e a ter medo deles, mas quando sonho sou eu... no acordar sinto o medo que me ensinaram, por isso é que o que sou, o Brito, fica sempre na cama e é lá que está aquele que sou. Acordado sou tudo menos eu mesmo, eu próprio. Acordado existo mas não vivo... acordado... eu nem sequer acordo já... quem acorda é o nº 745664151 e é este quem calça os chinelos que estupidamente chamo "meus"... o Brito... o Brito nunca mais acordou

745664151 trabalhou ainda muitos anos vindo a sucumbir com 81 anos de idade e o seu corpo "descansa em paz" num cemitério da sua "mãe" cidade, o epitáfio reza assim: "(...) eterna saudade de todos os seus amigos"

Brito morreu menino, criança ainda, foi brutalmente assassinado por uma almofada que o asfixiou... o seu corpo jaz em câmara ardente debaixo da almofada de cada um de nós, tendo sempre o mesmo epitáfio:

MORREU UM SONHO

4 comments:

Filipa said...

Mas isto é belissímo...

E eu que não conhecia o espaço...os meus passos andarão por aqui.

weee said...

Adorei o texto! Principalmente por me ter identificado com o Brito, o seu murmuro para si próprio... até me arrepiei de tanta identificação.

telmyh said...

Bem adorei o texto!!
obrigado plo cmentario meu amigo lostie :)
Vou passar a fazer regulares visitas a este blog :)

sir_iverson a.k.a. Marco said...

há mt brito por aí...
vou continuar a acompanhar o blog, fikei curioso para ler mais...