Wednesday, August 16, 2006

Francisco



Francisco Laudi, o homem que fez chover.


Ele sonhou, acordou e decidiu-se.

Lançado por si mesmo para aquele empreendimento dispôs-se a tudo.

Com a luz do sol ou da vela trabalhava montando as peças que tinha percorrido longos caminhos para encontrar. Montava aquela enorme e confusa máquina... -sem um esboço de papel.

Tinha-a completado!

Colocou-a em cima de uma carroça que dois fortes cavalos puxaram até ao cimo do monte.

No cume verificou que o sol já estava a desaparecer e que era imperioso esperar pela manhã...- é que o sol era algo de fulcral.

Já noite e sem porquê trouxe os cavalos e a carroça para o vale de sua casa, depois despiu-se,... e nu... subiu o monte até junto da sua máquina.

Esperava pelo sol, com um sorriso nos lábios, quando lhe veio à ideia que a máquina não tinha qualquer interruptor... não tinha feito nenhum mecanismo que pudesse controlar a máquina e nem sequer se tinha lembrado de como ligá-la... desesperou!

Lembrou-se de que no seu sonho também não havia qualquer botão ou outra coisa qualquer... sorriu!

Com o sol veio a chuva e o Francisco Laudi morreu feliz... agarrado à sua máquina.

Nunca ninguém mais viu o Francisco Laudi ou a máquina.

Ele levou-a consigo.



3 comments:

weee said...

Gostava de ter conhecido esse Francisco Laudi, podia-me ensinar a agarrar a máquina com essa força...

firing said...

estava tudo na mente dele...

os nossos sonhos são o mais importante que temos, sao as nossas esperanças e desejos

Laudinha said...

A chuva :) adoro o som da chuva....